"Mas não viu mais nada. Acima dele só havia o céu, um céu encoberto, mas muito alto, imensamente alto, onde nuvens cinzentas flutuavam suavemente, 'Que calma, que paz, que majestade! pensava. Que diferença entre nossa corrida frenética, entre os gritos e a batalha, que diferença entre a raiva estúpida dos dois homens brigando pelo soquete - e a marcha lenta dessas nuvens desse céu profundo, infinito. Como não reparei nele até agora? Como estou feliz por descobri-lo finalmente! Sim, tudo é vaidade, tudo é mentira fora desse céu sem limites."

trecho de Guerra e Paz, Tolstoi, no
O Neutro de Barthes

foto by Má

Comentários

MayrA disse…
tem dias que a gente lembra de olhar e então lembra que antes de olhar, o céu parecia mais cinza do que realmente estava.
raquel disse…
não resisti: "tem dias que a sente se sente como quem partiu ou morreu..."
dramática, no momento.

beijo
Pa Z disse…
tem dias que abro uma janela e relembro de uma flor
beto melodia disse…
... e tem dias que o céu esquece de olhar para a gente...

tolstoi é ótimo.
parabéns por seu blog, talita.

ps. tenho uma filha com seu nome...

Postagens mais visitadas