se fosse permitido chorar pelo que se desconhece

um leve desespero se abate quando o sol vertical desfaz as sombras. à medida que elas reaparecem sob as árvores, anunciam: é tarde, hora de partir. o que parecia simples, ir embora, depois das doze tão rápidas horas, já não é mais, e como tudo tão rápido se fez, também se desfaz sem sinal.

o que parecia simples ir embora já é despedida

o peso do desespero se eleva quando o sol horizontal desfaz as sombras. à medida que elas reaparecem e tomam conta, anunciam, é tarde, hora de dormir. nunca pareceu simples ir embora, muito menos agora, depois de vinte e quatro horas, depois de mil, talvez, há de ser.

nunca pareceu simples ir embora, sempre uma despedida foi.

Comentários

MayrA disse…
se ir embora não fosse uma saída, não existiriam dois lugares...
Guilherme Franco disse…
O comentário da MayrA valeu o post.
um beijo para ambas (ou seriam dois?)
J.R. Lima disse…
sim senhora
ir embora
lá pra fora
ir sem hora

pode ser agora, dona senhora?

(despedida = despir-se da ida?)

Postagens mais visitadas