não, não era azedo o sabor da noite. era um beijo com mordida no final e gosto doce de sangue.

Comentários

Decadentíssimo disse…
bolita, borboleta, pirulito, espoleta,
nada disso sem loucura, sem frieza e desaparecimento...
dialética feliz da infância e da morte sobre teu corpo de criança
sei que teu choro não é um espinho na garganta
sei que é tua pele que chora, menina
tocando o mundo insosso com gosto
dando orvalho e vida às folhas secas ao redor...
tua palidez assombrada inventa-se num tabuleiro mágico de cores
em que até o cinza teu sabe ser amarelo!
jamais cortem as asas do teu pássaro, pelo amor de deus
que por ora brinca de beija-flor na rosa aberta das minhas mãos
minha sina é vermelha, pois não vivo sem derramar o coração pelos os olhos:
quando percebo o teu azul de céu e luz do sol, amarela soberania, escurecer
ou quando te vejo presa em meus espinhos em agonia
ou quando te amo com um amor-próprio esperando morrer...
sabe, passarinho? acima das flores, lindo mesmo é voar...
Talita disse…
... o passarinho voa e olha "de bico" como quem quer dizer: "olha como sei voar bonito!"

Postagens mais visitadas