silêncio

eu gostava dos teus desnecessários cabelos, mas prefiro assim, sem nada que, ao redor do teu rosto impeça a visão de ti assim nua, assim inteira, assim cheia.
como te vi naquela última vez antes que você batesse a porta.

eu tenho umas roupas pra lavar desde aquele dia
uns papéis com a tua letra espalhados pela casa
e tantas gravações que me assombram à noite,
mesmo sem eu vê-las
quando eu tive coragem eu vi, assim pude perceber os fios do teu cabelo pequeno crescendo depois de cair.
a tua pele magra, o teu corpo macio
e um sorriso sem jeito de quem não sabe se diz bom dia
ou adeus
(alguém talvez já tenha dito bom dia em dia de adeus, eu não)
os dias se seguem
nem bons nem piores
só agora com algumas cores na tela
as cores aquelas com as quais querias pintar
o cabelo teu, o bigode meu.





escrito num papel amarelo apoiado em copo de plástico
depois de assitir "sueltos", de sergio falleti
no início do show do proyecto gomez casa

Comentários

Postagens mais visitadas