quem fez tua roupa de mágoa?

.
.
.

por que tudo ainda reluz de um brilho opaco e distante e o teu nome repetido três vezes em dez minutos, segundo os outros, escancara uma saudade que não é ausência. é presente a lembrança. e os passeios, e os carros e danças são vistos com olhos de quem quer te presentear visões. é difícil perceber que é difícil acabar o que parece já morto, mas as saudades bestas podem fazer sorrir, e o carnaval dos outros respinga novidades em nossos dias amargos. são olhos sorridentes os que me fazem acordar e não me deixam dormir. são sorridentes os olhos que me secam, secando também o meu riso. mas esse samba, mesmo ligeiro, desacelera a vida e cria outro tempo. onde a minha cama lenta habitada por poeira e restos não cede ao sossego.

.

vem completar meu verso que até ele sofre de preguiça e cansaço. não sabe do pulular vazio, dos foguetes estrondosos e do riso. só do silêncio da boca que azeda de tanto aquiescer. aquece as manhãs que me acordam com espinhos, espirros, respingos de um corpo que não que amanhecer.

.

quem fez tua roupa de mágoa?

Comentários

MayrA disse…
nossa... respirar para digerir. lindo. beijo
Anônimo disse…
OI. ESTOU TE SEGUINDO.ACHEI MUITO INTERESSANTE SEU BLOG.ESPERO PODER TER VC NO MEU TB.ABRAÇSO.
:)
mariel.zasso disse…
Que que eu vou dizer? :)

Postagens mais visitadas