acordar um dia sem ter dormido. a garganta na mão trazendo junto aquele que deveria estar batendo. no peito, um silêncio oco suspenso, a respiração custa a chegar com medo de fazer ruído. mas a barriga grita de medo. qualquer comum movimento está pesado do fatal retroespectro visto.
olhos parados, não te queria perdidos.
.
.
.

o mote é, mais uma vez roubado de acordar um dia

Comentários

Postagens mais visitadas