...



faz um tempo que pensei em fazer isso. ou pensei em fazer isso várias vezes e não fiz. não sei. agora fiz. sujei. um espaço muito limpo. aparentemente ou minimamente coerente. decidi assim que aqui, onde até então, espaço de poucas palavras explicativas, ou de poucas reclamações ou de palavras mais medidas, comedidas, ou sei lá qual a medida das palavras que aqui cabiam, sei que umas cabiam e outras não, decidi que não não não. ou melhor. sim. todas cabem sim. é que descobri que não sei viver de distâncias, descobri faz tempo, já vivo há muito de silêncios e lamentos e presenças que nunca estão e sei que nada acalma algumas faltas... mas pelo menos assim (vamos ver) eu abro a boca, eu conto pra um e pra outro, o que ando pensando ou o que vem se passando, o que tem me pensado ou me transpassado. era pra ter sido num outro espaço pr’eu fazer isso tudo, mas acaba que não foi, mas acaba que fica pra outro dia, mas acaba que não se faz e acaba que o único espaço de comunicação do que está distante é o maldito do facebook com a invenção de um tempo que eu não sei acompanhar, e a linha passa, e eu não sei acompanhar, e as pessoas falam, e eu leio, e quando quero comentar o assunto já passou, ai que preguiça.  mas eu lembro que eu fiz esse blog pensando em nenhum leitor específico que não fossem os meus amigos, em manter um espécie de contato nisso que sei que aqui mesmo chamei de falta, mas na verdade é o preencher-se de distâncias e o viver com tudo isso com o qual estamos cheios mas não completos, pois sempre cabe um pouco mais, pra desviar pra lá e pra cá, pra ir sendo com o que virá.

Comentários

Guilherme Franco disse…
A pureza é sempre o que falta,
de tanto imaginada.

Bem vinda,
Rafael Flores disse…
Também me sinto nisso aí;
(bem dito)
"presente"

Postagens mais visitadas